Aprendendo a superar o medo e ser mais corajoso na vida


Seja navegando pelas redes sociais ou pelos noticiários da televisão, muitas pessoas tem se deparado com notícias que são bastante alarmantes, assustadoras e desanimadoras para a humanidade. Acontecimentos como os bombardeios na Síria, a violência no Brasil, em especial no Rio de Janeiro, e os tiroteios nas escolas Norte-Americanas trazem uma sobrecarga de negatividade, medo e desesperança para as pessoas, que passam a questionar o valor da vida humana, bem como da própria vida. Não só ser bombardeado por toda negatividade torna mais difícil pensar positivamente, mas tende a nos tornar mais temerosos. Então, o que podemos fazer para viver com mais coragem e livres de boa parte do medo que nos assola?

O medo é principalmente uma resposta de trauma, e às vezes apenas significa tomar a decisão de ser corajoso e ter menos medo. Mesmo que o medo tome conta de nós, a ponto de nos paralisar, ele pode ser imobilizado. Peter Levine, pesquisador Norte-Americano, em seu livro Walking the Tiger (1997), diz que, na natureza, essa imobilidade é chamada de "resposta congelante" e simplesmente serve como estratégia de sobrevivência. Ele afirma que os estudos mostraram que a única maneira de entrar e sair de situações assustadoras e traumáticas é ter essa resposta de imobilizar e neutralizar o medo, para que possamos avançar e sair dessa situação.

Aqueles que passaram por algum tipo de situação traumática, às vezes nem sequer percebem a seriedade de sua experiência (seja por abuso, violência, guerra ou desastres naturais)  e que delas podem haver efeitos duradouros. Para os estudiosos da Psicologia, quando as pessoas vão ao médico com sintomas e não há uma causa aparente, é possível que o trauma esteja em algum lugar em suas histórias, e que poderá surgir durante outro período estressante em suas vidas e comprometer aspectos psicológicos e biológicos, evento os quais são denominados de psicossomáticos.


Um exemplo de desencadeamento de situações estressantes é a crescente onda de violência no país. Apesar de todos nós sermos claramente afetados, é evidente que aquelas pessoas que experimentaram situações de violência, como assaltos, agressões físicas ou verbais e traumas anteriores vivenciam um momento ainda mais desafiador, o que pode gerar estresse e medo de forma incapacitante. Por exemplo, nessa situação, algumas pessoas podem ter um ressurgimento de quadros fóbicos, como de interação social e pararem de sair de casa, o que poderia gerar  uma cascata de novos comprometimentos emocionais e físicos.

As consequências de traumas anteriores escondidos podem se manifestar em comportamentos físicos e psicológicos baseados no medo, que podem ter um impacto significativo na vida de uma pessoa. Mesmo durante as nossas atividades diárias, a coragem é muito importante, mas é particularmente crucial durante tempos difíceis. Para lidar com uma falta de coragem, podemos tentar reconhecer, aceitar e superar nossos medos com respeito a todas as coisas que somos incapazes de controlar e todos os desafios que somos incapazes de cohecer.

A coragem não é o oposto do desespero, mas vem da palavra francesa coeur, que significa "coração", à medida que o coração não para de desempenhar suas funções vitais, mesmo diante de situações estressantes, para que possamos desenvolver todas as nossas virtudes emocionais e psicológicas possíveis. Essa relação vem para que possamos compreender que a coragem está relacionada a não parar diante do medo. "Tenho medo, mas logo tenho coragem para seguir em frente". Após situações traumáticas ou que nos trazem medo, é preciso foco e esforço para se estabilizar de modo que possamos viver livremente. A viagem de volta à falta de medo e coragem pode ser desafiadora e cheia de transformação, mas vale a pena dar esses passos.

Aqui estão algumas dicas sobre como se tornar menos temeroso e mais corajoso:

  • Compreenda e reconheça seus medos;
  • Reflita sobre os caminhos possíveis para contornar situações que te dão medo;
  • Considere formular afirmações positivas e repeti-las com frequência;
  • Encontre alguém para falar sobre seus sentimentos;
  • Pratique diariamente o passo-a-passo encontrado para superar o medo;
  • Procure as atitudes e atributos positivos em outros;
  • Envolva atenção e meditação;
  • Pratique a gratidão.
"O amor é com o que nascemos. O medo é o que aprendemos aqui. "
- Marianne Williamson

Lembre-se que existe saída e solução para tudo e que nada é permanente na existência humana. Vamos lá, você consegue.

Referências:





Aprendendo a superar o medo e ser mais corajoso na vida Aprendendo a superar o medo e ser mais corajoso na vida Reviewed by Ailton Melo on março 05, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.