06 motivos pelos quais a depressão maior é tão dolorosa


Qualquer pessoa que tenha experimentado um episódio de transtorno depressivo maior irá dizer-lhe que a depressão é dolorosa. São inúmeros os relatos de psicólogos que disseram perceber a dor em inúmeras pessoas que passaram pela terapia, evidente em suas expressões faciais, suas vozes e em toda sua linguagem corporal. A dor na depressão pode ser tão preocupante que torna-se até mesmo difícil concentrar em qualquer outra coisa. 

Quando dizemos que estamos "machucados emocionalmente", queremos dizer isso em mais do que um sentido metafórico. A depressão profunda é dolorosa. Talvez a maior e mais trágica evidência de que a depressão é dolorosa, esteja relacionada ao número surpreendente de pessoas acham a dor tão intolerável que elas escolhem acabar com suas vidas para acabar com o sofrimento.

Muitos estudos foram feitos para tentar entender a conexão entre depressão e dor. Os seguintes fatores surgiram como possíveis explicações para compreender essa relação.


1- Áreas cerebrais comuns:

Vários estudos mostraram que a dor psicológica e a dor física ativam algumas das mesmas regiões cerebrais. As áreas que são frequentemente associadas a ambos os tipos de dor incluem a insula (que facilita a conscientização sobre nossos estados internos), regiões do córtex frontal, incluindo o córtex cingulado anterior e o tálamo (a estação retransmissora do cérebro). A diferença mais notável no cérebro entre a dor física e psicológica parece ser que a dor física ativa regiões do cérebro somatossensorial, que estão envolvidas em nosso senso de toque. Assim, o cérebro parece estar interpretando o sofrimento psicológico de maneiras semelhantes como distúrbios físicos, sem uma área específica do corpo de onde a dor emana.


2- Neurotransmissores comuns:

Além das áreas comuns do cérebro, a dor física e emocional parece envolver neurotransmissores semelhantes, incluindo serotonina, GABA, glutamato e norepinefrina. De fato, medicamentos como inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS) que podem aliviar os sintomas da depressão também são prescritos para algumas condições de dor. Também há evidências de que um neurotransmissor chamado "Substância P", que está intimamente ligado à nossa capacidade de detectar ameaças e experimentar dor física, também está envolvido na depressão. Além disso, os níveis de Substância P entre indivíduos deprimidos estão correlacionados com determinadas diferenças estruturais relacionadas à depressão no cérebro.


3- Inflamação:


As  citocinas inflamatórias são substâncias químicas no organismo que promovem a resposta da inflamação. A inflamação está intimamente ligada à dor física (explicando por que os fármacos antiinflamatórios como o ibuprofeno aliviam a dor) e as citocinas inflamatórias também são elevadas em alguns indivíduos com depressão. Estudos demonstraram que o estresse crônico desencadeia a liberação crônica de citocinas inflamatórias, o que, por sua vez, levam a neuroinflamação (inflamação no cérebro) e subsequente depressão.


4- Maior sensibilidade à dor:


Quando estamos deprimidos tendemos a ser mais sensíveis à dor. O termo clínico é hiperalgesia. O fator comum na depressão e na sensibilidade à dor pode ser o estresse crônico. Estressores agudos muitas vezes levam a  diminuição da  sensibilidade à dor (como quando um soldado mal percebe uma ferida séria no calor da batalha), enquanto o estresse prolongado tende a nos sensibilizar para a dor. Esta hiperalgesia na depressão pode nos fazer notar até pequenas dores que, de outra forma, ignoraríamos.


5- Tudo é difícil:

Pode ser uma luta apenas para cuidar do básico quando estamos realmente deprimidos, seja comendo, tomando banho, vestindo-se. Cuidar de nossas responsabilidades diárias, como trabalhar e estudar, pode exigir uma enorme quantidade de energia, especialmente quando a depressão está nos dizendo para simplesmente jogar a toalha. O intenso esforço que é preciso apenas para continuar faz com que tudo pareça uma difícil e dolorosa batalha.


6- Obtendo nossa atenção:

A dor física é difícil de ignorar e, por uma boa razão, alerta-nos de que algo está errado, para que possamos agir para corrigi-la. A dor psicológica pode desempenhar uma função semelhante, informando-nos de que tudo não está bem e obrigando-nos a fazer algo a respeito. Essa dor é muitas vezes o que nos leva à psicoterapia e nos motiva a fazer mudanças que impulsionem nosso humor e aliviem nosso sofrimento.

Felizmente, na maioria dos casos, há boas razões para esperar, apesar da desesperança que a depressão geralmente traz. A maioria das pessoas recebe muito alívio com o tratamento, seja na forma de psicoterapia ou medicação. Se você ou alguém que você ama está claramente vivenciando essa dor emocional, considere realizar pelo menos uma das seguintes atitudes ainda hoje:


  • Fale com um ente querido sobre como você está sentindo e prepare um plano para encontrar alívio;
  • Marque uma consulta com um profissional de saúde mental da atenção primária para conversarem sobre seu estado de humor;
  • Procure um psicólogo em sua região que tenha habilidades para tratamento da depressão;
  • Leia mais sobre a depressão a partir de fontes confiáveis e respeitosas ​​para compreender mais sobre o assunto, procurar dicas diárias básicas sobre atividades e comportamentos que possam ajudar a passar por essa fase.
Aprenda também a ajudar quem passa por situações de dor e sofrimento, conferindo nossa matéria sobre o guia psicológico sobre como oferecer os primeiros socorros emocionais.

Através do tratamento certo, é possível encontrar alegria e facilidade novamente.


Obter ajuda:


Publicado por:

Portal de Psicologia Jovem com Ciência
Psicólogo Ailton Melo  
Portal: jovemcomciencia.com
Redes sociais e currículo:

Referências:


GOESLING, J.; CLAUW, D. J.; HASSETT, A. L. Pain and depression: an integrative review of neurobiological and psychological factors. Current Psychiatry Reports, v. 15, p. 421-428, 2013.

IMBE, H.; IWAI-LIAO, Y.; SENBA, E. Stress-induced hyperalgesia: animal models and putative mechanisms. Frontiers in Bioscience, v. 11, p. 2179-2192, 2006.


KIM, Y. K. et al. The role of pro-inflammatory cytokines in neuroinflammation, neurogenesis and the neuroendocrine system in major depression. Progress in Neuro-Psychopharmacology and Biological Psychiatry, v. 64, p. 277-284, 2016.
06 motivos pelos quais a depressão maior é tão dolorosa 06 motivos pelos quais a depressão maior é tão dolorosa Reviewed by Ailton Melo on março 02, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.