6 formas de enfrentamento para vítimas de agressão sexual


O primeiro passo para enfrentar essa situação é a denúncia!

Primeiramente, para quem está sofrendo algum tipo de abuso, é crucial que você saiba que existe um serviço de denúncias, ligando através do número 100 (ligação gratuita 24 horas por dia), vinculado a Secretaria de Direitos Humanos, com pessoas que estão preparadas para ouvir e fornecer ajuda de diversas formas. É importante dar um cuidado extra durante esse período desafiador e corajoso. Aqui estão algumas maneiras de fazer isso.

E, novamente, lembre-se desse recurso: Disque 100, uma linha direta para denúncias sobre abuso e  assédio sexual. Saiba mais sobre esse serviço clicando aqui e aqui.


1. Tome um tempo só seu

Com manchetes nacionais de primeira página, mídia social e talvez seus amigos, familiares e colegas de trabalho discutindo um caso - muitas vezes de uma maneira que pode parecer insensível ou claramente invalidante do testemunho da vítima, em um momento tão doloroso. Essa situação tem sido uma realidade sombria em nossa cultura. Pode parecer impossível escapar dessa situação, mas para cuidar de si mesmo, porém, você deve estar ativo na busca de um espaço quando precisar. É difícil ficar longe de seus canais habituais de notícias e comunicação - especialmente quando algo afeta você tão fortemente - e, no entanto, isso pode ser crucial se você se sentir cada vez mais perturbado. Depois de prestar atenção em como a exposição a diferentes situações faz você se sentir, defina alguns limites de acordo. As pessoas podem fazer isso de muitas maneiras diferentes. Desligue seu telefone em um certo ponto antes de dormir. Deixar de seguir (mesmo que temporariamente) aqueles cujas vozes são insensíveis ou incendiárias. filtre as notícias, se possível se distancie das redes sociais e evite ler comentários em publicações de notícias Escolha mudar de assunto no recreio do escritório quando se sentir puxado de uma forma que não lhe agreguem. Proporcionar-lhe uma pausa desses contextos não é apenas o seu direito, mas quando se trata de sua saúde mental pode fazer a diferença crucial na sua cura. Faça uso dos recursos de "não perturbe, função soneca, colocar em espera", sem nenhum tipo de culpa, isso pode ajudar a ter seu próprio tempo, se desligando de todas essas mídias aos poucos.


2. Conecte-se quando houver confiança

Tire um tempo para estar com aqueles que cuidam de você, pessoas em que você confia e te fazem se sentir apoiado. Mesmo que elas não saibam os detalhes da sua história, a presença delas pode ajudar a se sentir menos sozinho (a) e lembrar o poder da conexão humana. Sabemos que o forte apoio social - e até mesmo a percepção disso - pode ajudar a prevenir certos sintomas do Transtorno de Estresse Pós-Traumático. O inverso também é verdade, é claro: aquelas pessoas que fazem você se sentir desconfortável, ou em quem não confia, podem apenas fazer você se sentir mais instável quando você já está se sentindo vulnerável. Esteja atento às pessoas com as quais você escolherá se conectar ativamente durante esse período. Você merece muito isso.


3. Ouça seu corpo

Quando alguém sofreu uma agressão sexual, muitas vezes carregam o trauma de forma muito significativa e, de fato, a própria natureza da violação pode afetar a capacidade de alguém se sentir confortável e seguro em sua própria pele. Revisitar um trauma, mesmo indiretamente, ouvindo os detalhes de outra pessoa, pode mandá-la para a luta, fuga ou congelamento novamente: você se torna hipervigilante e sensível a possíveis ameaças e assusta-se facilmente; seu coração começa a bater; sua respiração fica mais superficial; e à medida que os níveis de hormônio do estresse aumentam em sua corrente sanguínea, você pode sentir que está em perigo novamente. Tire um tempo para ouvir seu corpo esta semana. O que faz você se sentir seguro e aliviado? Yoga, meditação, música, aromaterapia, massagem, banho quente ou relaxamento muscular progressivo são apenas alguns exemplos de formas que as pessoas consideraram eficazes para diminuir sua ansiedade física e diminuir sua resposta ao estresse. E isso pode fazer com que o ciclo se mova na direção certa, pois um corpo acalmado pode diminuir a probabilidade de uma espiral de pensamento negativo ansioso.


4. Faça coisas que a (o) faça se sentir motivada (o)

Transformar angústia em ação pode ser fortalecedor/libertador. Assim como os pedidos de ajuda podem aumentar durante casos importantes, também podem ocorrer chamadas à ação. E isso pode assumir muitas formas, trazendo um benefício significativo à saúde mental, como escolher fazer um ato de bondade para uma outra pessoa ou ficar à disposição de outra pessoa necessitada. Sentir-se desamparado e paralisado com a desesperança pode ser uma característica marcante da sintomatologia pós- traumática , e muitos sobreviventes acham que agir pode ajudar a combater esses sentimentos. Dito isto, se parecer muito cansativo ou avassalador, permita-se apenas ser. Não coloque outra demanda em si mesmo durante este tempo se não se sentir confortável com você. Não existe uma maneira "certa" de ser um sobrevivente de agressão sexual.


5. Expresse seus sentimentos

Você merece possuir seus sentimentos: eles são seus e somente seus. E assim como não existe uma maneira "certa" de ser um sobrevivente de agressão sexual, não há um modo "certo" de sentir. Eu tenho visto muitas reações nesta semana, que vão desde tristeza, raiva, medo e angústia, a vontade de fugir. Está bem. Muitas pessoas acham útil, especialmente quando seus sentimentos ameaçam ser esmagadores, escrever seus sentimentos ou compartilhá-los com um amigo de confiança. Algumas pessoas encontram poder não apenas em compartilhar suas histórias, mas em expressar, sem remorso, suas emoções - e como a agressão ou abusos afetou. Mesmo se você escrever uma carta que nunca acaba enviando, dar palavras à sua realidade emocional pode ajudar a fortalecer sua voz e seu senso de autonomia. Claro, passar por psicoterapia com um psicólogo também é uma opção muito necessária.


6. Procure enxergar momentos bons

Quando as pessoas estão passando por suas horas mais sombrias, não é incomum ouvir quão significativo pode ser tomar coragem nas formas mais simples e sutis para ver o amor e bondade que o mundo tem a oferecer. Algumas pessoas procuram isso na natureza, maravilhadas com a forma imperfeitamente perfeita de plantas crescendo em seu jardim (ou no parapeito da janela). Outros podem até passar por isso se apegando ao humor - que mesmo na escuridão, o riso pode proporcionar uma libertação, ainda que momentânea. Outros ainda ver bons momentos em estar atento aos momentos cotidianos mais simples que os sustentam: o ato de cozinhar, o carinho dos animais, o nascer do sol. Se você pode encontrar gratidão por esses momentos de uma maneira simples, melhor ainda. E embora esses momentos possam parecer insignificantes em um contexto maior de tristeza ou medo, eles podem se somar muito bem para que a experiência do dia ainda valha a pena.

Confira também nossas matérias sobre os 5 passos para desenvolver e recuperar a esperança na vida8 maneiras de deixar um dia triste mais feliz.


Obter ajuda:

Publicado por:
Portal de Psicologia Jovem com Ciência
Psicólogo Ailton Melo  
Portal: jovemcomciencia.com
Redes sociais e currículo:

Referências:



6 formas de enfrentamento para vítimas de agressão sexual 6 formas de enfrentamento para vítimas de agressão sexual Reviewed by Ailton Melo on janeiro 09, 2019 Rating: 5

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.