O que é depressão?



Nem tudo é o que realmente parece.


Cerca de 15 milhões de americanos por ano lutam contra a depressão, uma doença que ocorre de várias formas - de depressão grave e transtorno afetivo sazonal a distimia e transtorno bipolar . A depressão é uma doença que aflige cada vez mais pessoas em todo o mundo, interferindo na concentração, motivação e muitos outros aspectos do funcionamento diário. É um transtorno complexo, envolvendo muitos sistemas do corpo, incluindo o sistema imunológico, seja como causa ou efeito. Ele perturba o sono  e interfere no apetite, em alguns casos causando perda de peso, em outros, ganho de peso. Devido à sua complexidade, ainda não existe um entendimento completo e definitivo da depressão.

Os cientistas têm alguma evidência de que a condição está relacionada à dieta, tanto diretamente - através dos nutrientes que consumimos, como as gorduras ômega-3 - quanto indiretamente, através da composição das bactérias no intestino. É claro que a depressão envolve o humor e os pensamentos, assim como o corpo, e causa dor tanto para aqueles com o transtorno quanto para aqueles que se preocupam com eles. A depressão é cada vez mais comum em crianças.

Mesmo nos casos mais graves, a depressão é altamente tratável. A condição é frequentemente cíclica e o tratamento precoce pode prevenir ou prevenir episódios recorrentes. Muitos estudos mostram que o tratamento mais eficaz é a psicoterapia, que aborda padrões de pensamento problemáticos, com ou sem o uso de drogas antidepressivas . Além disso, as evidências tem demonstrado que os processos reflexivos proporcionados pela terapia, podem parar a depressão antes mesmo que ela comece a deixar as pessoas entristecidas e apáticas, evitando ciclos distímicos do humor


Sintomas de depressão

Nem todo mundo que está deprimido ou maníaco experimenta todos os sintomas. Algumas pessoas experimentam alguns sintomas, outras muitos. A gravidade dos sintomas varia entre os indivíduos e também varia com o tempo.

  • Humor persistentemente triste, ansioso ou sensação de vazio;
  • Sentimentos de desesperança ou pessimismo;
  • Sentimentos de culpa , inutilidade ou desamparo;
  • Perda de interesse ou prazer em hobbies e atividades que já foram prazerosas, incluindo sexo;
  • Diminuição da energia, fadiga, "desaceleração";
  • Dificuldade em se concentrar, lembrar ou tomar decisões;
  • Insônia, acordar muito cedo ou dormir demais;
  • Alterações de apetite e / ou perda de peso e / ou ganho de peso;
  • Pensamentos de morte ou suicídio, tentativas de suicídio;
  • Inquietação, irritabilidade;
  • Sintomas físicos persistentes que não respondem ao tratamento, como dores de cabeça, distúrbios digestivos e dor crônica;
  • Sensação de que o que antes te fazia bem, hoje pode te matar;
  • Sentimentos de frustração recorrentes;
  • Retração social.

Causas da Depressão

Não existe uma causa conhecida única da depressão. Pelo contrário, provavelmente resulta de uma combinação de fatores genéticos, bioquímicos, ambientais e psicológicos. Trauma, perda de um ente querido, um relacionamento difícil ou qualquer situação estressante que supere a capacidade de lidar, podem desencadear um episódio depressivo. Episódios depressivos subsequentes podem ocorrer com ou sem um gatilho óbvio.

Pesquisas com tecnologias de imagens do cérebro, como a ressonância magnética, mostraram que os cérebros das pessoas que têm depressão são diferentes daqueles das pessoas sem depressão. As partes do cérebro responsáveis ​​por regular o humor, o pensamento, o sono, o apetite e o comportamento parecem funcionar anormalmente. Além disso, os produtos químicos que as células cerebrais usam para se comunicar - os neurotransmissores - também podem ser afetados. Não está claro quais mudanças vistas no cérebro podem ser a causa da depressão e quais são os efeitos.

Alguns tipos de depressão tendem a ocorrer em famílias, sugerindo que pode haver alguma vulnerabilidade genética ao transtorno.

Tratamento da Depressão

Depressão, mesmo os casos mais graves, é um distúrbio altamente tratável. Tal como acontece com muitas doenças, quanto mais cedo o tratamento puder começar, mais eficaz será e maior será a probabilidade de que a recorrência possa ser evitada.

O tratamento adequado para a depressão começa com um exame físico por um médico. Certos medicamentos, bem como algumas condições médicas, como infecções virais ou distúrbios da tireoide, podem causar os mesmos sintomas da depressão e devem ser descartados. O médico deve perguntar sobre o uso de álcool e drogas e se o paciente tem pensamentos sobre morte ou suicídio.

Uma vez diagnosticada, uma pessoa com depressão pode ser tratada de várias maneiras. Os tratamentos mais comuns são medicação e psicoterapia. Muitos estudos mostram que a psicoterapia é altamente eficaz, isoladamente ou em combinação com a terapia medicamentosa. A psicoterapia aborda os padrões de pensamento que precipitam a depressão e os estudos mostram que ela evita a recorrência. A terapia medicamentosa é frequentemente útil no alívio de sintomas, como a ansiedade grave, para que as pessoas possam se envolver em uma psicoterapia de forma significativa.


Variedades de Depressão

Depressão geralmente leva uma das duas formas principais. A depressão unipolar é o que a maioria das pessoas quer dizer quando fala sobre depressão: um estado ininterrupto de tristeza, apatia ou desesperança e perda de energia. Às vezes é chamado de depressão maior. A depressão bipolar, ou transtorno bipolar, é uma condição marcada por períodos de depressão e períodos de mania de alta energia; as pessoas oscilam entre os dois pólos de estados de humor, às vezes ao longo dos dias, às vezes ao longo dos anos, muitas vezes com períodos estáveis ​​no meio.

O nascimento de um bebê pode provocar mudanças de humor ou períodos de choro nos dias ou semanas seguintes,os chamados baby blues . Quando a reação é mais grave e prolongada, é considerada depressão pós-parto, condição que requer tratamento, pois pode interferir na capacidade de cuidar do recém-nascido. A depressão também pode ocorrer sazonalmente, principalmente nos meses de inverno, quando a luz solar é escassa. Conhecido como transtorno afetivo sazonal, ou SAD, muitas vezes é amenizado pela exposição diária a tipos específicos de luz artificial.

Os pensamentos suicidas muitas vezes coincidem com os episódios depressivos, e é por isso que é importante estar ciente dos sinais se você ou um ente querido tiver algum distúrbio de humor prolongado.


Depressão e sua saúde

Os americanos são obcecados com a felicidade, mas estamos cada vez mais deprimidos: cerca de 15 milhões de americanos combatem essa desordem, e um número cada vez maior deles são jovens. Angústia mental é difícil para sua saúde. Pessoas que sofrem de depressão têm três vezes mais risco de sofrer um evento cardíaco. De fato, a depressão afeta todo o corpo. Ela enfraquece o sistema imunológico, aumentando a suscetibilidade a infecções virais e, ao longo do tempo, possivelmente até mesmo alguns tipos de câncer - um forte argumento para o tratamento precoce da depressão. Ele interfere no sono, aumentando os sentimentos de letargia, agravando os problemas de concentração e foco e, geralmente, prejudicando a saúde. Aqueles que sofrem de depressão também experimentam taxas mais elevadas de diabetes e osteoporose. Às vezes, a depressão se manifesta como um mau humor persistente, uma condição conhecida como distimia. Geralmente é marcado por períodos de anos de baixa energia, baixa auto-estima e pouca capacidade de sentir prazer.


Viver com Depressão

Todo mundo experimenta o sentimento de tristeza. No entanto, a depressão clínica é uma experiência mais negativa, profunda e repetitiva, além da falta de energia. Não é um sinal de fraqueza pessoal ou uma condição que pode ser desejada ou indesejada. Pessoas com depressão não podem simplesmente "se recompor" e melhorar.

As pressões crescentes da vida moderna também não ajudam. Toda a pressão social a qual estamos sendo diariamente submetidos desempenham um papel em nosso desenvolvimento. São diversos estudos em diversos contextos socioculturais que apontam a relação das cobranças e normas sociais com o desenvolvimento da depressão.

No entanto, existem algumas evidências de que, por mais dolorosa que seja a depressão, ela serve a um propósito positivo, trazendo consigo maneiras de pensar que forçam aqueles que sofrem a se concentrar nos problemas como um primeiro passo para resolvê-los. Com esse efeito, alguns pesquisadores supõem que a depressão pode ajudar a levar a pessoa à autoconsciência necessária para supera-lá.

Confira também nossas matérias sobre as diferenças entre depressão e tristeza e como a depressão não tratada altera o cérebro ao longo do tempo.

Obter ajuda:


Publicado por:
Portal de Psicologia Jovem com Ciência
Psicólogo Ailton Melo  
Portal: jovemcomciencia.com
Redes sociais e currículo:


Referências:






MUSSELMAN, D. L.; EVANS, D. L.; NEMEROFF, C. B. The relationship of depression to cardiovascular disease: epidemiology, biology, and treatment. Archives of general psychiatry, v. 55, n. 7, p. 580-592, 1998.

REMY, P. et al. Depression in Parkinson's disease: loss of dopamine and noradrenaline innervation in the limbic system. Brain, v. 128, n. 6, p. 1314-1322, 2005.

ROTTENBERG, J. et al. Optimal Well-Being After Major Depression. Clinical Psychological Science, 2019.

SELIGMAN, M. E. P. Helplessness: On depression, development, and death. A series of books in psychology. New York, NY: WH Freeman/Times Books/Henry Holt & Co, 1975.
O que é depressão? O que é depressão? Reviewed by Ailton Melo on fevereiro 20, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.